segunda-feira, 3 de junho de 2013

Maurício Gomyde - O Mundo de Vidro

Literatura Nacional

Protagonistas: Ele e Ela


Até onde pode ir a paixão de uma pessoa por outra? Como, quando e por que começa? Até que ponto pode-se cometer alguma loucura para fazer parte da vida de alguém? Quais as consequências da paixão avassaladora incompreendida? E quando não se admite a óbvia paixão por outra pessoa? Neste seu primeiro e hilariante romance, Maurício Gomyde conta a história de duas pessoas, Ele e Ela, tentando responder estas aparentemente simples perguntas. Passeando com extrema facilidade tanto pela linguagem refinada e sutil quanto pela tosca, Maurício Gomyde nos brinda com um livro de leitura fácil e extremamente agradável. 


Ele era um sujeito completamente pacato. Não tinha nada de especial, não era o mais bonito, nem o mais esperto, nem o mais popular. Ela era o total oposto. Linda, cheia de vida, popular e inteligente, vivia a vida intensamente. Desde a primeira vez que a viu, ele se apaixonou. E pela primeira vez na vida, resolveu fazer algo a respeito, partindo para a conquista de seu coração. Mas como fazer alguém tão diferente se apaixonar por você? Será que realmente valeria de tudo no amor e na guerra?

Comecei a ler esse livro cheia de expectativas. Havia lido resenhas incríveis sobre ele e estava realmente muito curiosa. E não me decepcionei. Sabe o que é se apaixonar por um livro tendo lido só o prefácio? Foi o que aconteceu comigo. Eu ri tanto, que as lágrimas desceram, hehe. E me vi cativada...

O Mundo de Vidro é um romance diferente dos que estou acostumada a ler. Uma coisa bem moderna, com situações que poderiam estar acontecendo bem ao seu lado. Aquela situação do "metrô e a arena de gladiadores" não poderia ter sido descrita de forma mais precisa. Só quem já passou pela "emoção" de pegar um metrô lotado na hora do rush sabe como é a sensação, rs... E não sei se foi essa a intenção do autor quando nomeou seus protagonistas simplesmente de "ele" e "ela", mas eu achei bem legal porque ao ler o livro, você fica com a sensação de que os personagens poderiam ser qualquer pessoa, mesmo aquele excêntrico conhecido seu. E vamos combinar que "ele" sabe como ninguém ser excêntrico, pra dizer o mínimo. E os devaneios românticos dele são hilários. Parece que não vai dar em nada, mas... *leiam o livro pra saber*. Como eu disse no começo, "ela" é o total oposto dele. Sério, nunca vi duas pessoas tão diferentes. Volta e meia me perguntava se "ele" conseguiria conquistá-la. E é muito legal poder ver a transformação dos dois. Como os personagens vão crescendo e amadurecendo (às vezes nem tanto assim, rs...) e se tornando pessoas melhores.

O livro também teve dois personagens que roubavam a cena sempre que apareciam: Horácio, o papagaio do mocinho, e Sullivan o vendedor-barra-estilista-barra-amigo-por-livre-e-espontânea-pressão dele. Vocês precisam ler o capítulo 36. Foi o mais engraçado, na minha opinião, ri até a barriga doer. E caí na besteira de mostrar pra minha irmã, em plena madrugada... Até hoje não sei como os vizinhos não reclamaram do som das gargalhadas vindo da minha casa, num horário tão inadequado...

Mas nem só de comédia vive o livro. Há passagens lindas, como essa:
Quis ter o maior dinheiro do mundo para enchê-la de presentes todos os dias e levá-la aos lugares mais bonitos que existem. Quis ser o cara mais inteligente do mundo, só para explicar a ela todas as coisas aparentemente sem explicação. Quis ser o mais forte do mundo, só para colocá-la no mais alto pedestal já construído. E o mais sensível de todos, só para dizer o inesperado nos momentos mais inusitados de suas vidas. Por fim, quis ser o mais poderoso do mundo, só para tê-la perto quando bem entendesse. Mas sabia que não era o mais rico, nem o mais inteligente, nem o mais forte, sensível ou poderoso homem do mundo. De riqueza só poderia oferecer o seu amor, de explicação somente o que sentia por ela, de força apenas carregá-la no seu coração, de sensibilidade apenas enxergar além de seus olhos, e de poder, apenas tê-la dentro de si, como naquela hora.
- Capítulo 43, páginas 184 e 185
Lindo, não é?! Ah, claro: tem também o motivo para o livro se chamar "O Mundo de Vidro". Vou deixar que descubram quando o lerem. Eu amei!

Literatura nacional de ótima qualidade. Só um arrependimento: de não ter lido antes. E os capítulos são pequenos, que você diz "vou ler só mais um" e quando vê já leu uns 10, rs... Livro super-hiper-ultra-mega-power recomendado, esse eu assino embaixo!




Sobre o Autor:

Maurício Gomyde nasceu em 1971, em São Paulo. Em 1974 mudou-se para Brasília, onde mora até hoje. Além de escritor, é também músico. Conheça mais sobre ele e suas obras em seu site: http://www.mauriciogomyde.com/


*** Suelen Mattos ***
http://lh6.ggpht.com/_2WNpNdgUeb0/TUTUNd_cnxI/AAAAAAAAAyM/ce90pMbLYvc/separador.gif

6 comentários :

  1. Trecho do livro lindo, Suelen!! Amei!!
    Amei a resenha. O Mundo de Vidro parece bastante interessante...
    Bjos!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Su, eu adorei este livro, dei boas risadas com ele. O papagaio era d+!
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Ele é ótimo mesmo, né?! E Horácio, com aquele jeitinho tão "carinhoso" de acordá-lo, era uma graça só, hehe!!!! :c

    ResponderExcluir
  4. Oi Suele!!!
    Tenho muita vontade de ler algo deste autor, mas acabo sempre deixando para depois, e no fim, nada tenho. Esta é a primeira resenha que leio deste livro, e achei bem legal os personagens não terem nome próprio, justamente pela possibilidade de ser qq um =)
    Adorei a dica.

    ResponderExcluir
  5. Dani, não perde tempo e leia esse livro! É diversão garantida!!! :s

    ResponderExcluir

E aí, o que acharam??? Comentem!!! Adoro ler as opiniões de vocês!!!!

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t   :u

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Arquivos Romantic Girl

Postagens Populares

Rolando No Romantic Girl:

Em Breve!!!
 


Suelen Mattos Romantic Girl | Designed by: Shop Like a Woman , TNB | Distributed by Deluxe Templates