segunda-feira, 23 de março de 2015

Susan Stephens - Dona do Coração

Título Original: Housekeeper At His Beck And Call
Protagonistas: Cade Grant e 
Olivia Tate
Paixão 427

Kept for His Pleasure 02

Feita para ele...

Olivia Tate estava cansada da fútil da alta sociedade e das imposições de sua mãe. Pena que ela só chegou a essa conclusão quando estava no altar, prestes a dizer "aceito". Mas antes de embarcar em um casamento infeliz, Liv decide fugir. Desamparada e sem dinheiro, ela quer deixar seus antigos costumes para trás. Mesmo que seja trabalhando como empregada de um militar exigente. O tenente Cade Grant é rude, sensual e tem um coração de pedra. Mas Liv consegue driblar as barreiras desta alma ferida com sua inocência, despertando nele um desejo avassalador. Agora Cade está disposto a ensinar tudo o que ela precisa saber... entre os lençóis.


Geralmente eu começo minhas resenhas fazendo um resumo do livro usando minhas próprias palavras. Gosto de contar algo que o resumo não diz, mas sem soltar spoilers, para que quem esteja lendo o meu texto tenha um olhar mais profundo sobre o enredo. Mas essa resenha será diferente. E vou explicar o porquê.

Esse livro, apesar das apenas 183 páginas, tem 16 capítulos. Eu havia terminado de ler o capítulo 8 — ou seja, metade do livro — e a autora ainda não tinha dado nenhum outro detalhe além do que já constava no resumo. É sério, nunca havia visto algo assim. Capítulo 8 e Liv e Cade não sabia mais um sobre o outro do que o resumo diz: que ela havia fugido e largado o noivo no altar e que Cade era um tenente a procura de uma empregada. Pra não dizer que, até aquele ponto, nada mais fora acrescentado, foi dito que Cade tinha cicatrizes no rosto e no corpo.

A história já começou muito surreal. Eu amo romance de banca e, pra quem está acostumada a lê-los, sabe que não são raras as vezes em que há amor à primeira vista. Mas aqui foi um caso de luxúria à primeira vista que depois se transformou rapidamente em amor, sem convencer ninguém. Quer dizer, eles não sabiam NADA um do outro e Liv já estava morrendo de amores pelo Cade? Pensa bem: ela estava prestes a se casar com um homem bom. Segundo ela, o noivo era bom demais pra ela, ela não o merecia e, por isso, não conseguiria fazê-lo feliz. O que ela faz? Conversa com o noivo a respeito disso, ANTES do dia do casamento, já que ela sentia essa insegurança há um tempo? NÃÃÃO! No dia do casamento, ela pensa: "não vai dar não, vou largá-lo no altar e fugir de casa" (Oi?!). E lá vai ela pela rua, vestida de noiva, entra num ônibus, vê o anúncio de que o herói da cidade está procurando uma empregada e vai bater lá. E é só se olharem, logo nas primeiras páginas do livro, pra que um padrão seja estabelecido: se eles não estão conversando, estão pensando em cair nos braços um do outro. Quer dizer, uma mocinha prestes a casar com outro, VIRGEM, olha pra um total estranho NO DIA DO CASAMENTO DELA e já quer ir pra cama com ele? Sem nem ao menos conhecê-lo, nem que fosse superficialmente? Não. Me. Convenceu. Me perdoem a sinceridade, mas ficou quase vulgar a forma como as coisas aconteceram. Daí, eu já não tinha ido muito com a cara de Liv, comecei a perder o respeito por ela também. Veja bem, não sou moralista, puritana nem nada do tipo. Mas é que foi realmente muito estranho a forma como a coisa aconteceu. E você pode estar pensando: mas a Suelen só fala da mocinha… e o mocinho, ele também não pensava em levá-la pra cama? Por que não fala dele também? Calma, que agora chegou a vez do homem.

De cara já da pra notar que Cade não quer compromisso com ninguém. E Liv sabe disso. O homem faz a linha militar durão e, em algumas vezes, chega a ser um pouco irritante com seu comportamento. Mas no geral, até dava pra levá-lo na boa… até o inevitável momento em que eles vão se render a paixão. Vou ter que dar um spoiler aqui pra vocês entenderem porque o homem me irritou nessa parte. Se não quiser ler, pule para o próximo parágrafo. Como eu disse, foi um caso de luxúria à primeira vista. Então, claro, a primeira vez deles tinha que ser num momento de descontrole dos dois, na cozinha, contra o balcão. Que primeira vez mais romântica, hein?! Mas o pior foi o que o mocinho fez a seguir. Ele não sabia do estado virginal da mocinha, mas é claro que acabou percebendo. O que ele faz? Termina a coisa o mais rápido possível, sobe a calça (sim, eles ainda estavam de roupa, só tiraram o "necessário" do caminho), vira as costas para a mocinha sem dizer nada e vai pra garagem mexer na moto dele. Afff… esse aí ganhou o prêmio insensibilidade do ano. E perdeu meu respeito também. Claro que depois disso a mocinha resolve ir embora, né?!

Tudo isso que eu falei foi até o fim do capítulo 8. Eu pensei que depois disso a história ia dar uma virada e a coisa começaria a melhorar. Pensei que a mocinha ia tomar um pouco mais de juízo e ter mais amor próprio e que o mocinho ia correr atrás do prejuízo, resolver abrir seu coração e tentar conquistar a mocinha. E foi aí que o livro desandou de vez.

O que aconteceu a seguir foi a gota d'água que transbordou o copo da minha paciência, e tudo o que eu poderia pensar desse ponto em diante era terminar logo de ler o livro pra poder ler outra coisa. Não ia dar mais spoiler, mas preciso mostrar o motivo de meu desafeto. Então, se não quiser ler, pule para o próximo parágrafo (eu juro que é a última vez). Cade morava num casarão bem antigo, daqueles que tem até salão de baile, e queria transformá-lo em um centro de reabilitação para soldados feridos em combate. Pra que seu sonho se realizasse, ele precisaria de patrocínio. Pra conseguir patrocínio, ele teria que ser sociável e mostrar que tinha um coração (foi o próprio chefe dele que disse isso). O que ele resolve fazer? Pensa: "Ah, vou chamar a minha ex-empregada, cuja virgindade eu tirei e depois nem olhei pra cara dela, pra ajudar a mostrar que eu tenho um coração e, assim, conseguir dinheiro pro meu projeto". Recapitulando: a mocinha é virgem, abandona o noivo no altar, vê Cade e se enche de luxúria, finalmente perde a virgindade num ato rápido e frio, só para ser largada na sequência, sem uma palavra sequer do mocinho, nem mesmo um olhar em sua direção. Aí você poderia pensar: agora é a hora da vingança, Liv. Faz o rapaz se desculpar, faça-o mostrar o que sente. E ela faz isso? NÃÃÃO! Liv resolveu fazer o inimaginável, chocando até mesmo Cade, e diz: se quer minha ajuda, vá para a cama comigo e me ensine tudo sobre sexo. Juro pra vocês, a coisa soou fria assim. Até Cade pensou que ela queria se aproveitar do corpinho nu dele, numa fantasia louca de dormir com o herói da cidade. Quase feriu os sentimentos dele. Quase, porque, sendo homem luxurioso (essa palavra existe???) que era, superou rapidamente o choque e aceitou o trato, achando até que saiu barato demais. Repito: eles AINDA não sabiam NADA um sobre o outro além do que já foi dito no resumo. E vocês acham que a segunda vez deles foi melhor que a primeira? Não foi. Não direi onde aconteceu, só adianto que não foi dessa vez que a cama foi utilizada. Mas esse nem foi o problema não. O problema foi que ele repetiu o comportamento anterior: terminou de fazer o que tinha que fazer, levantou, virou as costas e saiu, largando a mocinha lá, ainda na posição, digamos assim, se limitando apenas a dizer que ela precisava descansar, por isso ele ia deixá-la sozinha (Oi?!). Credo!

Daí eu já não tinha esperança nenhuma de melhora e minha motivação para chegar ao fim da leitura foi: "Quer ler o livro novo da Diana Palmer que você comprou? Termine esse primeiro". Como se não bastasse a falta de química entre o casal, a falta de diálogo, porque eles não falavam sobre coisas pessoais (pensando bem, eles mal se falavam) e o comportamento deles, ainda achei o livro bem confuso em algumas partes. Num minuto eles estavam conversando em um lugar, e no seguinte estavam em outro, pra depois voltar pro mesmo lugar, isso sem ter dado nenhum passo. Não sei se foi coisa da autora ou problema na tradução, mas teve trechos em que me perdi no espaço e tempo contínuo. Além disso, o livro é o segundo de uma série. A mocinha do primeiro livro tem o mesmo sobrenome que a mocinha desse livro, então imaginei que elas fossem irmãs, mas como eu disse, o livro quase não deu muitas informações além do que já está no resumo. Já quase no final é que foi comentar que ela tinha uma irmã, confirmando então minha suspeita de que realmente a mocinha do livro 1 é irmã dessa mocinha aqui. Outra coisa a citar é que, pelo resumo, dá a entender que a mocinha é rica, mas ela não é não. Está mais pra classe média. A mãe dela não é da alta sociedade, mas é bem chata mesmo. Vive achando que a mocinha não consegue fazer nada na vida, então o melhor é ela casar mesmo. E olha que Liv é enfermeira formada. Só aceitou o cargo de empregada mesmo porque o hospital onde trabalhava fechou e ela, claro, foi despedida. E isso dá ainda mais raiva na história. Puxa, com um militar querendo abrir um centro de recuperação e uma mocinha que se revela ser uma enfermeira, tinha tudo pra trama dar certo. Você lê o resumo e pensa: não tem como dar errado. Mas dá. Infelizmente.

A única graça salvadora é o capítulo 15 e as três primeiras páginas do capítulo 16 (sim, até o final do livro foi sem graça). E esse trecho é legal justamente pelo fato do casal sentar e fazer o que deveria ter sido feito logo no começo: conversar. Fiquei até mais animadinha ao ler esse capítulo, mas a essa altura não havia muito o que salvar na história não. E, repito: o final foi bem sem graça.

Esse livro faz parte de uma série multiautoras. Susan Stephens escreveu os 2 primeiros livros, o que foi uma pena, porque dizem que as outras histórias são ótimas, mas com um começo tão ruim assim, nem tenho mais vontade de ler o restante da série não (a maioria dos livros já foi lançado pela Harlequin, confira a lista no final da resenha).

Pra encerrar, vocês já devem imaginar o que vem agora, né?! Esse livro eu não recomendo. Tem livros que eu não gosto, mas imagino que vá agradar a outros leitores. Esse aqui eu tenho a sensação de que não conquistará muita gente não. Dá pra notar pela nota baixa que ele tem no Skoob e no Goodreads. A série Paixão tem livros muito melhores pra você ler. Leia só se estiver curioso mesmo e não tiver mais nada pra ler. Mas é por sua conta e risco.



Kept for His Pleasure:


01- Direito de Amar - Susan Stephens (Under The Italian's Command) -  Lorenzo Domenico e Carly Tate [Modern Sexy 09]
02- Dona do Coração - Susan Stephens (Housekeeper At His Beck And Call) - Cade Grant e Olivia Tate [Paixão 427]
03- Sua Amante, Sua Lei - Trish Wylie (His Mistress, His Terms) - Alex Fitzgerald e Merrow O’Connell [Modern Sexy 21]
04- Confissões de Uma Amante - Robyn Grady (Confessions Of A Millionaire's Mistress) - Benton Scott e Celeste Prince [Modern Sexy 29]
05- Momentos Quentes - Natalie Anderson (Mistress Under Contract) - Daniel Graydon e Lucy Delaney [Modern Sexy 22]
06- Cegos de Amor - Kimberly Lang (The Secret Mistress Arrangement) - Matt Jacobs e Ella Mackenzie [Jogos de Desejo - Harlequin Duetos 15.2]
07- The Maverick's Greek Island Mistress - Kelly Hunter - Pete Bennett e Serena Comino
08- Charme Fatal - Heidi Rice (Hot-Shot Tycoon, Indecent Proposal) - Connor Brody e Dayse Dean [Modern Sexy 31]
09- Maus Modos - Kimberly Lang (The Millionaire's Misbehaving Mistress) - Will Harrison e Gwen Sawyer [Etiquetas do Amor - Jessica 173.2]
10- Playboy Boss, Live-in Mistress - Kelly Hunter - Alexander Wentworth e Sienna Raleigh


Capa Original:


*** Suelen Mattos ***
http://lh6.ggpht.com/_2WNpNdgUeb0/TUTUNd_cnxI/AAAAAAAAAyM/ce90pMbLYvc/separador.gif

14 comentários :

  1. pelo visto esse livro forçou a amizade, hein? tem histórias que são difíceis de engolir mesmo, quanto mais surreal menos empatia, né?
    Quando der, de uma passada no blog, adorarei sua visitinha!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, Suelen.
    Já não sou muito fã de romances, então acho que esse não me agradaria de forma alguma. Parece ser bem raso e sem sentido.

    ResponderExcluir
  3. Oi Suelen!
    Gostei muito da honestidade e li o spoiler pra saber o motivo da sua revolta. Super concordo! Wtf? Que mocinha mas sem noção! Me lembrou um pouco 50 Tons, em que a moça virgem se enche de luxúria e vai pra cama com o cara super facilmente. Não cola pra mim.
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Pois é, gente..... Geralmente sou bem aberta em relação aos romances, mas esse aí foi bem difícil de agradar. Pra mim não deu não, infelizmente... :b

    ResponderExcluir
  5. Tenho a maior raiva quando leio romances de banca que esse tipo de coisa acontece, dá vontade de jogar o livro longe e nunca mais olhar pra ele. Já passei por coisa meio parecida, a leitura se arrasta e desanimadora. Gostei bastante da sinceridade.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Suelen!

    Eu até tinha sentido vontade de ler esse livro, mas depois da sua resenha, desisto. Com tantos livros maravilhosos para ler, não perderei meu tempo com essa história. E lamento muito por você ter lido essa... coisa. É um livro que sairia voando pela minha janela.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Pois é, gente.... esse ano eu só tinha pegado livro legal pra ler. Esse aí foi uma surpresa.... e uma não muito boa, devo acrescentar.... :f

    ResponderExcluir
  8. Um Candace Camp sempre consegue tirar o gosto amargo que livros assim deixam! :t

    ResponderExcluir
  9. Ótima ideia! Tenho uns 5 dela aqui que ainda não li..... :j

    ResponderExcluir
  10. Suelen... Wtf? mesmo...
    Cruzes, obrigada pela sinceridade. Este não passo nem perto.
    Eu também sou muito mente aberta para livros de romance que tenham mais pegada. Mas, neste caso lendo sua resenha o lance aí é totalmente outro... Fica meio vulgar mesmo. Tô fora.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Eu sei como é o sentimento de não gostarmos de um livro, mas acreditarmos que ele pode agradar outros leitores. Eu não curto muito esse gênero, mas gostei da resenha.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Pois é, meninas, esse aí não foi bom não. O que é uma pena, pois foi o primeiro livro da autora que li e comecei com o pé esquerdo.... :b

    ResponderExcluir
  13. Oi Suelen,
    Uma pena que trama seja tão ruim, mas sinceramente não me lembro de ter lido um livro ótimo dessa autora. Gostei da sinceridade e da resenha.

    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Isso é o que me assusta, Marla.... Já me falaram que os livros da autora não são muito bons.... uma pena mesmo.... :f

    ResponderExcluir

E aí, o que acharam??? Comentem!!! Adoro ler as opiniões de vocês!!!!

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t   :u

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Arquivos Romantic Girl

Postagens Populares

Rolando No Romantic Girl:

Em Breve!!!
 


Suelen Mattos Romantic Girl | Designed by: Shop Like a Woman , TNB | Distributed by Deluxe Templates